gototop
FacebookTwitterFlickrFeed

Agilidade no atendimento a pacientes graves

Terceira Sala Vermelha do DF é inaugurada no Hospital Regional de Ceilândia como parte da política de classificação de risco da Secretaria de Saúde

Thaís Antonio, da Agência Brasília
9 de Julho de 2012 - 14:55
Foto: Roberto Barroso Agilidade no atendimento a pacientes graves

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, acompanhado da primeira-dama, Ilza Queiroz, inaugurou nesta segunda-feira (9) a Sala Vermelha do setor de emergência do pronto-socorro do Hospital Regional de Ceilândia (HRC). Essa é a terceira sala em funcionamento no DF – única unidade da Federação com atendimento hospitalar feito pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A Sala Vermelha conta com quatro leitos equipados para atendimento de urgência, além de uma equipe do Samu formada por dois enfermeiros e cinco técnicos de enfermagem. No local podem ser realizados procedimentos especiais considerados invasivos, como ressuscitação cardiopulmonar, intervenção em caso de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e de Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), ventilação mecânica e monitorização cardíaca.

“Com a Sala Vermelha, vamos dar uma resposta imediata aos casos de urgência. Os casos menos graves serão resolvidos com as UPAs [Unidades de Pronto Atendimento] e com a agenda aberta”, explicou o governador. “Estamos melhorando o atendimento com a classificação de risco. A agilidade no atendimento pode significar o limite entre a vida e a morte.”

Como funciona – O paciente em estado grave trazido pelo Samu vai direto para a Sala Vermelha. Depois de estabilizado, é avaliado pelos médicos do hospital e segue para a área competente, de acordo com cada caso. O sistema de classificação de risco prevê que os pacientes do pronto-socorro passem por acolhimento, sejam triados e encaminhados às outras salas: Amarela, Verde ou Azul – com menor grau de gravidade.

A Sala Amarela se destina a pacientes já estabilizados, que tenham passado pela Sala Vermelha ou não, e que necessitam de cuidados especiais. Aqueles que recebem as cores verde ou azul são encaminhados ao Ambulatório 2, que funciona com agenda aberta das 7h às 19h e atende 1,1 mil pacientes por dia.

“A política de classificação de risco é uma medida da Secretaria de Saúde que tem o objetivo de dotar todos os hospitais do DF de Sala Vermelha e Amarela, com o Samu presente”, explicou o secretário de Saúde, Rafael Barbosa. “A equipe do Samu é treinada para trabalhar em urgência e emergência. Com isso, o atendimento melhora, e muito. É uma qualidade de atendimento de excelência, com menos risco de sequela e de morte.”

O Hospital Regional de Ceilândia conta com 300 leitos para internação, 10 leitos de UTI adulto e oito de UTI neonatal. A Regional de Saúde de Ceilândia dispõe de 10 equipes de Saúde da Família e 12 Centros de Saúde.

Agenda do Governador do Distrito Federal
 
Saiba quais os desligamentos programados pela Ceb
 
Falta de água programada pela Caesb
 
Vagas de Emprego no Distrito Federal
VOCÊ ESTÁ AQUI: Início Notícias Saúde Agilidade no atendimento a pacientes graves