gototop
Domingo, 05 Agosto 2012 15:52

GDF estimula amamentação

  Cinara Lima, da Agência Brasília

Madrinha do projeto Sala de Apoio da Amamentação no DF, a primeira-dama, Ilza Queiroz, participa da campanha de aleitamento materno no Parque da Cidade e orienta mães a darem continuidade ao processo de amamentação. Governo abrirá salas de apoio em órgãos públicos

O Governo do Distrito Federal está empenhado em aumentar o número de mulheres que amamentam até o sexto mês de vida da criança, mesmo após o retorno das mães ao trabalho. Hoje, esse índice é maior do que a média nacional, de 41%. No DF, 50% das mulheres nessa fase seguem amamentando, mas a atual gestão quer elevar esse percentual para 90%. É o que revelou a primeira-dama, Ilza Queiroz, que é médica obstetra e madrinha do programa Sala de Apoio da Amamentação no DF.

Durante evento em celebração à 20ª Semana Mundial de Aleitamento Materno, no Parque da Cidade, neste domingo, Ilza Queiroz esclareceu que o GDF desenvolve projeto para abrir salas de amamentação em todos os órgãos e empresas da administração direta, seguindo o programa Sala de Apoio da Amamentação do Ministério da Saúde. A primeira será inaugurada nesta terça-feira (7) e funcionará no posto médico do Palácio do Buriti.

“A sala de amamentação vai facilitar a vida da mulher que retorna ao trabalho, pois ela continua a produção de leite. É um ambiente de apoio onde ela vai retirar o leite e levar para o filho tomar em sua ausência”, detalhou a primeira-dama.

“O Palácio do Buriti vai servir como modelo. A tendência, a partir daí, será que as secretarias façam a adesão. A importância da sala de amamentação é que, além de dar o leite para o próprio filho, se a produção for excedente, a mulher poderá ainda doar o leite retirado”, ressaltou o secretário-adjunto de Saúde, Elias Miziara.

No local serão disponibilizados materiais como gorros, máscaras, vidros esterilizados com tampas de plástico e freezer para o acondicionamento do leite. “Nossa intenção é que todas as servidoras, efetivas ou terceirizadas, que ainda amamentam e trabalham no Palácio do Buriti e no anexo, façam a coleta e armazenagem do leite para garantir o leite materno ao seu filho e a outras crianças”, explica a coordenadora de Aleitamento Materno e do Banco de Leite Humano da Secretaria de Saúde, Miriam Santos.

A orientação do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Distrito Federal é de que o tempo mínimo de aleitamento materno seja de seis meses, sendo recomendado por dois anos ou mais.

Celebração – Mães e filhos, além de servidoras das regionais de Saúde do DF comemoraram a 20ª Semana Mundial de Aleitamento Materno, na manhã de hoje, no Parque da Cidade. “Amamentar, além de ser um ato de amor, é um ato de saúde. Com o leite materno a criança recebe o alimento na temperatura ideal e com todos os nutrientes que ela necessita”, assegurou a primeira-dama, Ilza Queiroz, ao lado das secretárias da Mulher, Olgamir Amancia, e da Criança, Rejane Pitanga, entre outras autoridades.

No local, as mulheres receberam orientações sobre amamentação, assistiram à apresentação da banda do Corpo de Bombeiros e participaram da competição “Soletrando da Amamentação”, com sorteio de brindes para as crianças. A programação ofereceu ainda apresentação de rap e forró, além de brinquedos como cama elástica. Na ocasião, a Secretaria da Mulher realizou um levantamento sobre a percepção das mulheres em relação à amamentação.

A moradora de Taguatinga, Francisca Maria Teles, 28 anos, está amamentando seu filho Thiago, de cinco meses, exclusivamente no peito. “O meu filho mais velho, o Pedro, também mamou só no peito até os sete meses. Depois, mesmo com a introdução de outros alimentos, dei o peito até um ano e nove meses. Sempre tive essa consciência. Acho muito importante para a saúde deles e me sinto bem amamentando meus filhos”, disse Francisca.

Eridan Fernandes, 36 anos, também mãe de dois filhos, ressaltou a importância do ato. “Eliel está com dois meses e pretendo amamentá-lo até os dois anos, assim como fiz com Ayssa. Isso foi um conhecimento passado pela minha mãe, que amamentou os sete filhos, e pelo pessoal da saúde que sempre nos orienta”, explicou a moradora de Brazlândia.

A 20ª Semana Mundial de Aleitamento Materno conta com a participação de mais de 120 países. Começou em 1° de agosto e segue até o próximo dia 7. No Brasil, o tema é "Amamentar hoje é pensar no futuro”.

No Distrito Federal existem 19 unidades de coleta de leite materno: dez bancos de leite em hospitais regionais, dois no Hospital das Forças Armadas e Hospital Universitário de Brasília, dois postos de coleta em São Sebastião e em Samambaia, além de quatro bancos de leite e um posto de coleta em hospitais da rede privada.

De janeiro a junho deste ano, os bancos de leite humano do DF coletaram 8.958,5 litros de leite materno a mais do que no mesmo período do ano passado. Levantamentos mostram que nos cinco primeiros meses de 2012 os bancos de leite humano da rede receberam 7.461 litros, enquanto no mesmo período do ano passado foram 6.405 litros.

Toda mulher que esteja amamentando pode doar. Basta ligar para os telefones 3325-4207 ou 3445-7597 e se cadastrar. A voluntária não precisa ir ao hospital, já que o leite é recolhido em casa, pelo Corpo de Bombeiros.

agenda governador
momento da copa
banner historia sucessos
VOCÊ ESTÁ AQUI: Início Notícias Saúde GDF estimula amamentação