gototop
FacebookTwitterFlickrFeed

Governador apoia esporte paralímpico

O Distrito Federal terá 16 representantes nos Jogos Paralímpicos de Londres, que ocorrerão entre 29 de agosto e 9 de setembro

Cinara Lima, da Agência Brasília
8 de Agosto de 2012 - 21:31

O governador Agnelo Queiroz recebeu, na tarde desta quarta-feira (8), 16 atletas do Distrito Federal que competirão nos Jogos Paralímpicos 2012, em Londres, nas modalidades atletismo, hipismo, ciclismo, tênis de mesa e goalball. O evento ocorre entre os dias 29 de agosto e 9 de setembro e reunirá mais de 5 mil representantes de 150 países. O Brasil conta com uma delegação de 182 competidores. Os representantes do DF estarão em Winchester, no sul da Inglaterra, até segunda-feira, e lá vão se preparar.

“Temos aqui um quadro destacado que é um orgulho para Brasília. Desejamos sucesso absoluto. Vocês já são referências mundiais”, disse o governador.

Agnelo Queiroz destacou os projetos de incentivo às pessoas com deficiência que estão em andamento no GDF. “Estamos implantando treinamento e garantindo o acesso das pessoas com deficiência aos nossos centros olímpicos. Já temos 48 atletas competindo que treinam nessas estruturas”, afirmou.

O secretário de Esporte, Célio René, desejou sorte aos competidores e reafirmou a disposição do GDF em apoiá-los.  “Agradecemos o desempenho de todos vocês. Cada título conquistado e suor derramado é um orgulho para nosso país. O governador sempre me atribuiu a missão de atender ao paradesporto da melhor maneira possível”, declarou.

Empenho fundamental – Segundo o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, Andrew Parsons, o incentivo do GDF é fundamental para o desenvolvimento dos atletas.  “O governo Agnelo trata da mesma forma todos os atletas, sem qualquer distinção. É uma política equilibrada que contempla aqueles que se dedicam a alguma modalidade”, afirmou.

Andrew Parsons lembrou o empenho de Agnelo Queiroz em promover o esporte no país e citou duas leis que estão em vigor graças ao esforço dele. A primeira, a Lei 10.264/2001, chamada Lei  Agnelo/Piva por causa do nome de dois de seus autores, o senador Pedro Piva e o então deputado federal Agnelo Queiroz,  destina 2% da arrecadação bruta das loterias da Caixa Econômica Federal para o esporte. Desse total, 15% vão para o Comitê Paralímpico Brasileiro e 85% para o Comitê Olímpico Brasileiro (COB). O percentual é abatido do prêmio do ganhador. “Na época, essa lei ficou conhecida como a Carta de Alforria do esporte brasileiro. Pela primeira vez, tanto o Comitê Olímpico quanto o Comitê Paralímpico tiveram recursos permanentes”, disse Parsons.  A outra lei, 11.438/2006, é a de Incentivo ao Esporte, que foi criada na época em que Agnelo Queiroz era ministro da pasta.

Expectativas – Pela terceira vez em Paralimpíadas, Iranildo Conceição Espínola disputará a modalidade tênis de mesa. “Já participei de Atenas 2004, Pequim 2008 e agora Londres 2012. Nossa equipe do tênis de mesa é muito forte e a expectativa é trazer medalha”, garantiu o atleta.

Os irmãos Leomon Moreno e Leandro Moreno, jogadores de goalball, praticado por atletas cegos ou com pouca visão, participarão pela primeira vez das Paralimpíadas. “As expectativas são as melhores possíveis. O sonho de todo atleta é competir bem, ganhar medalhas e representar o país da melhor maneira”, declarou Leandro.

Agenda do Governador do Distrito Federal
 
Saiba quais os desligamentos programados pela Ceb
 
Falta de água programada pela Caesb
 
Vagas de Emprego no Distrito Federal
VOCÊ ESTÁ AQUI: Início Notícias Cultura, Esporte e Turismo Governador apoia esporte paralímpico